Café frio

Em sua sala-cela na superintendência da Polícia Federal em Curitiba, Lula conseguiu uma esteira e não conseguiu um frigobar. E também tentou – e igualmente não deu – ter lá uma máquina de café expresso como sempre teve no governo e até mesmo nas viagens presidenciais. Quando estava no poder, mandou comprar três máquinas italianas, grandes e profissionais. Queria um expresso bem quente até mesmo nas escalas de suas viagens. Na PF de Curitiba, o máximo que consegue é um cafezinho da garrafa térmica de um dos agentes que patrulham sua sala-cela.

Fechar Menu