Câmara aprova suplementação orçamentária

Em reunião extraordinária realizada no início da tarde deste domingo, a Câmara Municipal aprovou, por 9 a 3, Projeto Legislativo que abre crédito suplementar no valor de R$ 24.167.380,31, no orçamento da Prefeitura Municipal ainda neste ano de 2018, atendendo mensagem encaminhada pelo prefeito municipal Sérgio Azevedo.

Assim que os trabalhos foram abertos, com a presença de 13 vereadores, o líder oposicionista, Paulo Tadeu pediu a palavra para ler um extenso ofício onde elenca uma série de questionamentos que vão desde uma possível ilegalidade na convocação da sessão extraordinária sem obediência ao interstício de sete dias, até o fato de o chefe do executivo, mesmo antes da aprovação a suplementação, ter realizado pagamentos sem a devida dotação.

O vereador lembrou ainda o parecer do relator na Comissão de Justiça, Paulo Eustáquio, que foi contrário a aprovação do projeto, mas mesmo assim os vereadores aprovaram o processado.

Paulo Tadeu afirma no ofício que no dia 20 de dezembro a prefeitura negociou a dívida com o INSS e pagou parte dela sem previsão orçamentária e teria feito o mesmo com o salário dos servidores municipais.

O ofício foi entregue ao presidente Antonio Carlos Pereira e segundo disse o vereador petista, nos próximos dias ele estará denunciando o fato para o Ministério Público, junto com sua colega de legenda, “Ciça”, solicitando a abertura de ação civil para que o prefeito seja denunciado pelo crime de improbidade administrativa.

Estiveram ausentes da sessão os vereadores Paulo Eustáquio (MDB) e Gustavo Bonafé, que encaminhou correspondência a mesa diretora justificando a falta pelo fato de ter assumido compromisso anteriores ao agendamento da extraordinária.

Os vereadores que votaram contra o processado foram os dois petistas (Paulo Tadeu e Maria Cecilia Opípari) mais Joaquim Alves, do MDB.

Fechar Menu