Cel. PM FREDERICO ANTONIO DE LIMA

Coronel Frederico se aposenta da PM e deixa saldo positivo

Na próxima terça-feira, 25 de dezembro, o Coronel Frederico Antonio de Lima, comandante da 18ª Região de Polícia Militar de Minas Gerais, completa 30 anos de serviços prestados a corporação, quando se aposenta. Deste total, 25 anos foram dedicados a Polícia Militar de Poços de Caldas. Natural de Belo Horizonte e com título de cidadania poços-caldense emitido pela Câmara Municipal, Frederico disse que sua designação para trabalhar nesta cidade foi um prêmio.

“Sou o único oficial de aspirante a coronel em uma única cidade do interior. Isto acontece na capital, no interior não. Minha carreira foi desenvolvida de tenente a coronel, na ativa, em Poços de Caldas e região. Hoje, ao final de minha carreira, descobri que há 25 anos recebi um grande presente na vida, que foi ser designado para trabalhar nesta cidade, onde criei raízes, constitui família e tenho laços de amizades. Considero Poços a minha casa”, garantiu.

Entrar para o quadro de reserva da PM, deixa o oficial militar com o coração apertado, porque gosta da instituição e não consegue se distanciar. “Mesmo eu indo para reserva sempre terei respeito pela instituição, pelas pessoas de bem e pelas comunidades. Uma vez militar, sempre militar”, defendeu.

O militar quando se aposenta sobe uma patente, mas Frederico continuará como coronel, já que é a última do alto comando. “Em Minas são 43 coronéis que compõem o alto comando e faço parte de um deles, represento o Sul de Minas, com sede em Poços de Caldas”, justificou.

Por dois anos, Frederico comandou o 29º Batalhão de Polícia Militar em Poços e após foi designado para o comando da 18ª Região, também na cidade, onde permaneceu por mais dois anos.  Nesta função ele tem 55 cidades e 27 distritos sob sua responsabilidade, para uma população de 1,2 milhão de habitantes e comanda uma tropa militar de 1.600 homens.

A avaliação que ele faz dos dois últimos anos é satisfatória, já que se comparados com os anos de 2012 e 2013 houve uma redução de 35% nos crimes violentos na 18ª região. “Enquanto no país houve um aumento nos crimes, na nossa região tivemos uma queda e isto não sou eu quem está falando, são os registros que apontam”, declarou.

Uma situação difícil que o país enfrenta é o tráfico de drogas, que segundo o comandante gera outros problemas, como o furto, já que o usuário o comete para consumir a droga. Há ainda os homicídios e várias outras ramificações delituosas que são provenientes pelo uso e tráfico de drogas. “Em Poços não existe a predominância do crime violento. Não se presencia um número elevado de homicídios aqui e nem nas cidades da 18ª Região. “Isto passa principalmente pela estruturação da PM. Estruturamos a PM para fazer frente a esta demanda. Hoje esta marginalidade, que é mais sofisticada, como os ataques a caixas eletrônicos, vem muito bem estruturada, mas faz esta leitura das cidades com risco maior ou menor para fazer uma incursão neste sentido. Eu acredito que hoje a PM de Poços muda de patamar, vira uma referência em termos de segurança pública no Sul de Minas”, destacou o oficial militar.

Frederico lembrou que o crime não tem fronteiras, que as polícias têm as divisas de estado, mas têm que se aproximarem de forma inteligente.  Que a comunicação é possível, bem como a troca de informações e quem sai ganhando são os cidadãos de bem. “Mesmo não sendo minha divisa não quero que aconteçam crimes violentos no estado de São Paulo. Queremos que as pessoas estejam protegidas, que transitem com tranquilidade e com paz. Temos que fazer nosso papel, quebrar tabus e de uma forma inteligente buscar solução para a segurança pública”, defendeu Frederico.

Segundo ele, as perspectivas em torno do novo presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, são as melhores. “Eu confio muito na caserna, nos militares, acredito que seja uma reserva moral os militares hoje em um cenário político tão difícil. Acho que está faltando patriotismo na nossa nação e quando a gente distancia disso as mazelas começam. Não podemos olhar para o umbigo e quem ocupa uma função pública tem como caráter servir o cidadão de bem, as pessoas, a comunidade e não podemos distanciar disto”, afirmou.

De acordo com ele, os militares têm este sentido de doação até com o sacrifício da própria vida, conforme o juramento que fizeram. “Eu acredito que uma nova era surge, que dias melhores virão com responsabilidade, com ética e muita honestidade. Hoje o político que se distanciar destes aspectos está fadado a desaparecer do cenário político. Espero que aconteça um bom governo”, defendeu.

Com a insegurança crescendo no país, muitos municípios armaram suas guardas municipais. Em junho deste ano o ministro do Supremo Tribunal Federal, Alexandre de Moraes, decidiu que integrantes de guardas municipais de todo o país podem portar armas de fogo durante o trabalho e nas horas de folga.  Sobre o assunto, o coronel Frederico se mostrou favorável a medida, desde que se siga alguns requisitos.

“A Guarda Municipal tem um papel importantíssimo, relevante em qualquer município.  Sendo uma guarda muito bem preparada , bem capacitada, contemplando alguns requisitos necessários, eu não vejo problema algum dela usar armar de fogo,  até mesmo porque hoje a gente vê que a criminalidade é mais sofisticada e não podemos desguarnecer um pai de família.  O guarda municipal tem que ter estrutura e capacidade para dar uma resposta a altura, caso haja alguma investida contra ele”, defendeu, acrescentando que é preciso que haja uma instrução, uma capacitação adequada para poder viabilizar este tipo de acesso ao armamento,  que  tira vida se for necessário. “Eu sou a favor do armamento da GM desde que se contemplem alguns requisitos exigidos, porque quando se coloca nas mãos um armamento para fazer segurança tem que ter noção de que outras vidas também transitam por perto e as pessoas de bem têm que ter a segurança para não ser vitimadas inocentemente nas mãos de alguém que é responsável por zelar por suas vidas”, explicou.

Grandes empreendimentos foram feitos na gestão de Frederico como comandante, um deles foi o aumento do efetivo policial. Para que isto fosse possível foram implantadas escolas de formação de soldados em Poços de Caldas, Alfenas e Passos. “Há aquele ditado que diz que a grama perto da torneira é mais verde e é verdade, a gente só recebia migalha. Hoje Poços se consolida como uma cidade de formação de policiais militares e temos capacidade de formar e propiciar o aumento do efetivo com uma certa regularidade”, explicou.

Outras conquistas foram as 30 viaturas zero, grandes e pequenas, recebidas no início do ano passado, que propiciaram melhor prestação de serviço para a comunidade, além de mais conforto para os policiais militares. Foram entregues ainda fuzis, coletes e armamentos diversos.

“Foram momentos de muita intensidade neste período, coroando com êxito no dia 12 de dezembro último quando entregamos uma aeronave. Era um sonho de um trabalho de quase um ano. Trabalhei silenciosamente e fiz questão de entregar antes de ir para a reserva. Esta aeronave é multimissão e a amplitude na aplicação deste equipamento é maior do que se imagina, não se restringe a serviço policial, não é utilizada apenas em operações preventivas e repressivas, é um trabalho também de resgate”, explicou, acrescentando que caso ocorra um acidente grave em uma de nossas rodovias , quando há necessidade urgente de imobilização de vítimas , de transporte rápido para algum hospital , a aeronave e a sua equipe estão devidamente capacitado para dar apoio ao SAMU.

Toda a equipe da aeronave é formada por policiais militares. São duas equipes que trabalham 24 horas e com condições de emprego. São dois pilotos, dois copilotos, tripulantes, mecânico, pessoal de apoio terrestre, todos bem treinados e com capacidade tática consolidada. “Antes, quando era necessário, tínhamos que requisitar aeronave de BH, que nem sempre estava disponível. Trata-se de um investimento da ordem de 20 milhões e que se consolida em um momento difícil em termos econômicos. Em momentos de crise não podemos cruzar os braços, temos que arregaçar as mangas e trabalhar ainda mais. E esta ai a resposta da PM mostrando a importância de Poços no cenário de Minas Gerais”, concluiu.

Fechar Menu