Decepção

Pelos comentários que se ouve na rádio pião, dá para perceber que a administração perdeu muitos pontos junto aos servidores com o fato de ter descontado dos salários e não repassado o dinheiro ao IASM – Instituto de Assistência aos Servidores Municipais. A administração caiu em desgraça junto a classe que se sente decepcionada pelo fato de estar correndo o risco de ficar sem a assistência médica prestada pelos planos de saúde e o que é mais decepcionante, tendo no comando do executivo quatro servidores municipais que com esta maneira de agir cometem crime de apropriação indébita, justamente com recurso pertencente aos colegas de trabalho.

Para quem vivia criticando administrações passadas pelo atraso nos repasses ao IASM da parte do empregador, dar o calote com o próprio dinheiro dos associados é um fato imperdoável, não tendo nada que justifique a atitude que nunca aconteceu em governos anteriores.

Lembrando ainda que a promessa de campanha era pagar a dívida da prefeitura com o Instituto, herdada do governo passado. Além de não cumprir a promessa a administração fez pior, se apropriou indevidamente de um dinheiro que não lhe pertencia.

 

PM ambiental fiscaliza usina

Em atendimento a determinação do Promotor de Justiça, Dr. Sidnei Boccia, titular da 2ª. Promotoria do Ministério Público, o comando da 18ª. Cia. de Policia Militar Ambiental determinou que fosse feita uma vistoria e fiscalização na usina de asfalto que funciona na zona oeste, próximo ao estádio municipal, de propriedade da Construtora Etapa, motivo de reclamação dos moradores de bairros vizinhos devido a possível poluição causada pela usina.

Segundo ofício assinado pelo Tenente PM, Glaycon Lopes Furtado, comandante da Cia. a fiscalização foi realizada no dia 28 de junho último e de acordo com o laudo de vistoria, a empresa possui alvará de funcionamento expedido pela Prefeitura Municipal e também licença ambiental para funcionamento da usina, expedido pela Secretaria de Estado de Meio Ambiente.

No ato da vistoria a usina estava desligada, tendo o encarregado da empresa informado que a referida usina é movida a gás liquefeito de petróleo e conta com filtros de manga, que impede a expedição de qualquer tipo de partícula na atmosfera.

Ainda por determinação do Promotor de Justiça, a empresa também é alvo de uma vistoria e fiscalização do Departamento Municipal de Meio Ambiente, tendo contratado uma consultoria para responder ao questionamento que vem sendo feito pelo Departamento.

 

Fora de pauta

A sessão ordinária da Câmara Municipal realizada na última terça-feira se prolongou até por volta das onze horas da noite, por causa de debates acalorados em plenário (e fora dele), envolvendo o processado legislativo que apresentava projeto de lei de autoria do vereador Paulo Tadeu, proibindo a capina química no município, através de alterações propostas no Código de Posturas Municipais.

O clima esquentou durante discussão sobre uma emenda que permitiria o fim da capina química de maneira escalonada e não de uma vez só, como era intenção do autor da proposta. Ao final das discussões e de conversas intermediárias, a maioria optou por retirar o projeto de pauta.

O assunto já tinha sido motivo de um debate acalorado na própria bancada da situação, colocando o líder da bancada em confronto com uma vereadora da base de sustentação do prefeito.

 

À disposição

O engenheiro Rodopiano Marques Evangelista manda avisar que está à disposição, como uma terceira via para disputar o comando da prefeitura em 2020. Ex-diretor do DMAE, professor da PUC e diretor da ASSEMAE, Rodopiano tem experiência não só na área de saneamento, mas também na área administrativa e diz ser um profundo conhecedor dos problemas da cidade.

Fechar Menu