Assim como fizemos em 2017, ouvimos alguns colaboradores que acompanham o cotidiano da cidade e selecionamos algumas pessoas que neste ano de 2018 se destacaram em suas áreas de atuação. Começamos com o Promotor de Justiça, Dr. Sidnei Boccia e o Superintendente do hospital da Santa Casa, Dr. Azer Zenun Junqueira. As entrevistas foram feitas pela jornalista Neusa Reis, exclusivas para o blog. Até o final do mês, em todos os finais de semana estaremos divulgando os nomes e as entrevistas com as pessoas indicadas para a lista.

MAURO TRAMONTE

 

Deputado mais votado em Minas, Tramonte acredita que 2019 será um ano difícil

O poços-caldense Mauro Tramonte, que assume pela primeira vez uma cadeira na Assembleia Legislativa mineira em 2019, foi o deputado estadual mais votado em Minas Gerais nas últimas eleições e o segundo mais votado no país com 516.390 votos.  Apresentador de um programa de grande audiência na TV Record, Tramonte é bem conhecido em Poços de Caldas, onde foi detetive e inspetor da Polícia Civil, vereador, comandante da Guarda Municipal e apresentador de programa policial na TV Poços.

“Foram passagens de minha vida e em cada uma delas aprendi muito. Errei? Sim, mas sempre aprendendo com os erros. Procurei de todas as maneiras, nessas minhas passagens, ajudar um pouco, de alguma maneira, a nossa população de Poços de Caldas. Amadureci em cada uma delas, aprendi com pessoas importantes que, cuja experiência de vida, me ajudaram a percorrer vários caminhos até chegar onde estou hoje”, garante ele.

Embora não goste muito de se autoanalisar, Tramonte se considera uma pessoa humilde e sincera, determinada em vários aspectos, temente a Deus, fiel ao que se propõe a fazer, respeitador das pessoas e de seus posicionamentos, sejam eles quais forem.  “Não gosto muito de fazer propaganda sobre mim, mas garanto que quem me conhece sabe de minha índole e do meu caráter”, justifica.

Na sua avaliação, 2018 foi um ano muito delicado para o país. Ele lembra que na área política ocorreram as eleições com muitas mudanças que o povo ansiava, embates políticos, denúncias e até uma tentativa de homicídio contra um candidato a presidência, se referindo ao presidente eleito Jair Bolsonaro.

“Em Minas Gerais tivemos sérios problemas econômicos que comprometeram o andamento correto da máquina pública. Os trabalhos de centenas de prefeituras foram dificultados, já que ficaram praticamente com os cofres vazios. É bom lembrar que ainda houve o atraso do pagamento de salários dos servidores estaduais. No entanto foi um ano de mudanças e eu espero que seja para melhor”, acredita Tramonte.

Ainda sobre 2018, uma das maiores vitórias de Tramonte provavelmente tenha sido sua expressiva votação. O total de votos obtidos o surpreendeu. “Trabalhamos para chegar de 200 a 250 mil votos, porém, quando os votos começaram a chegar, percebemos que era a esperança da população por mudanças, por sangue novo na política, pela confiança que a população mineira tem em meu nome’, afirma.

Na sua avaliação, tantos votos vieram das pessoas que reconhecem seu trabalho em prol do povo nesses mais de 10 anos de luta  na Record.  “É um programa em defesa do cidadão e em cobrança daqueles que devem fazer e deixam a desejar. Meu trabalho sempre foi voltado ao povo, que reconheceu isso nas urnas”, enfatiza.

Questionado se os votos vieram da igreja, uma vez que a emissora que trabalha é de propriedade da Universal, o deputado garante que não foi a igreja que o elegeu. “Foi o povo de Minas Gerais em mais de 700 cidades. A igreja já possuiu seus candidatos que foram eleitos também, Carlos Henrique e Charles, que trabalharão comigo. Portanto, acredito que eu tive votos também, meus votos vieram de todos os lados das Minas Gerais’, esclarece.

Tramonte reconhece que a expressiva votação vai lhe cobrar muito mais como parlamentar.  “Quando uma pessoa coloca seu nome para disputar uma eleição, e ganha, a responsabilidade é enorme em vários aspectos. No meu caso, como mais de 516 mil votos, é claro que as cobranças e a procura pelos meus trabalhos serão maiores. Mas estou preparado para fazer o melhor, mesmo por que, escolhi uma boa equipe de trabalho”, explica, acrescentando que um parlamentar deve atender todas as áreas de atuação, mas que vai priorizar a educação, saúde, segurança e principalmente o social, que já são alvos de seus trabalhos.

Ele sabe que a atuação parlamentar é intensa e que exige de muito esforço, mas diz que tudo isto foi devidamente estudado e planejado antes. “Vou me adequar o nosso programa líder de audiência em Minas Gerais com os trabalhos na ALEMG. Acredito que um não vai interferir em outro, mesmo porque foi devidamente pré-estudado antes do início de nossa campanha”, garante.

Sobre 2019, Tramonte considera que não será um ano fácil, porque há muito que se fazer.  “Temos que consertar muitas coisas nesse país. Temos que fazer o Brasil crescer, desenvolver e gerar empregos e economia. Em Minas Gerais não é diferente. Acredito que essa legislatura será uma das mais difíceis e complicadas das últimas décadas”, analisa.

Ele lembra que o estado mineiro tem uma dívida enorme e atravessa por vários problemas que acredita que somente um ano será complicado reverter. “Com um trabalho da ALEMG junto com o governo estadual e com a população ajudando, conseguiremos mudar os rumos desse nosso estado”, acredita, acrescentando que ao final só lhe resta agradecer a Deus pela força do árduo trabalho que tem a frente pelos próximos quatro anos.

ULISSES GUIMARÃES

Ulisses Guimarães fica na primeira suplência e se diz surpreso com a votação recebida

Natural de Poços de Caldas, Ulisses Suaid Porto Guimarães Borges foi candidato a deputado estadual pelo PTB nas últimas eleições, quando obteve a expressiva votação de 48.295 votos. Não conseguiu se eleger, mas ficou na primeira suplência.

Veterinário, solteiro e prefeito da vizinha cidade de Caldas até bem pouco antes de se afastar do mandato para concorrer a uma cadeira na Assembleia Legislativa de Minas Gerais, Ulisses se considera tranquilo, simples, sonhador, inquieto e inconformado com injustiças, em especial as injustiças sociais. “Sou um jovem determinado, que sente muito prazer em servir ao próximo e tem sua recompensa no sorriso de alegria que recebo de quem foi servido”, garante.

Batalhador e destemido, ele gosta de desafios. “Sou alegre, sorridente e gosto de gente. Vi na política o melhor caminho para conseguir ver os frutos do meu trabalho atingirem positivamente o maior número de pessoas possíveis”, declara.

Ulisses acredita que já nasceu com essa veia política, uma vez que desde criança se interessa pelo tema e por trabalhos sociais. “Desde que me entendo por gente gosto de estar no meio do povo ajudando de alguma forma. Meu pai teve uma breve carreira política em Caldas, quando eu ainda era muito criança, acredito que ajudou a influenciar também, mas o gosto é meu mesmo”, justifica.

Ele reconhece que ainda a maioria dos jovens hoje em dia não se interessa por política e acredita que isto é um erro, pois todos os nossos atos enquanto cidadãos e na nossa relação social do dia a dia passam necessariamente pela política. “Acredito que, com os péssimos exemplos dados pelas últimas gerações de políticos, a política venha sendo confundida como sinônimo de corrupção e por isso acabou afastando as novas gerações’, avalia, acrescentando que há pessoas corruptas, mas que a política sempre vai existir e por isso mesmo precisamos nos envolver para que cada vez mais pessoas boas possam exercer a política na sua essência, que é a de servir ao próximo.

“É preciso que haja cada vez menos espaço para os oportunistas e para as pessoas que só querem fazer politicagem em causa própria. Se os bons não se interessarem pela política continuaremos sendo manipulados e governados pelos maus. E isso eu não quero, por isso tento fazer minha parte”, defende.

Sobre 2018, Ulisses diz que será um ano inesquecível na sua vida e que, apesar da pouca idade, seus 6 anos de atividade política lhe fazem sentir experiente, uma vez que nunca foi acomodado, lembrando que tem 29 anos de idade e que assumiu seu primeiro cargo eletivo como prefeito aos 22.

“Sempre disse que via na política o melhor caminho para que os frutos do meu trabalho atingissem positivamente o maior número de pessoas possíveis, por isso mesmo resolvi encarar o desafio de candidatar a deputado. Já me sentia preparado e sabia que teria condições de disputar com algumas chances de ser eleito, mas confesso que meus planos ficavam em um patamar de 35 a 40 mil votos no máximo, portanto, os quase 50 mil votos que recebi me deixaram surpreendentemente feliz e mostraram que minha responsabilidade hoje é maior do que eu poderia imaginar”, garante.

Apesar da suplência, Ulisses enfatiza que continuará lutando para ajudar a cidade e região da forma como for possível e retribuirá essa confiança cada vez mais com trabalho e dedicação. “Além do mais, como primeiro suplente, existe sempre a possibilidade de assumir o mandato a qualquer momento”, destaca.

Na semana passada ele foi diplomado e, portanto, está apto a assumir um mandato como deputado a qualquer momento, caso surja a oportunidade.

Sobre a decisão de ter deixado o mandato de prefeito para concorrer como deputado, Ulisses garante que não se arrepende das suas escolhas. “A votação expressiva que recebi mostra que tenho todas as condições de me colocar como opção para representar o povo mineiro em Belo Horizonte. Como prefeito de Caldas aprendi muito e, mais do que isso, mesmo enfrentando um período inédito na história republicana desse país com 3 anos seguidos de recessão e a combinação das piores crises econômicas e políticas que já existiram, acredito ter cumprido bem minha missão perante ao povo caldense”, lembra.

Segundo ele, teve uma gestão inovadora, participativa e acima de tudo eficiente, priorizando a educação, saúde e obras de Infraestrutura que melhoraram a vida das pessoas. Destaca a construção de Unidades de Saúde, ampliação dos atendimentos médicos, a melhora do hospital, o cuidado com mais humanidade dos pacientes, a construção  da primeira creche pública da cidade, reforma de escolas, qualificação e a  melhora da remuneração dos professores, a implantação do material didático do mesmo nível de escolas particulares nas nossas escolas públicas, a oferta gratuita de material escolar para todas as crianças, a melhora no transporte escolar, a instalação polos de educação a distância para formação em cursos de nível superior, a oferta de transporte gratuito aos universitários que estudam em Poços e São João da Boa Vista.

“Passamos a fornecer merenda escolar de qualidade com cardápio balanceado por nutricionistas e em mais quantidade e frequência, construímos pontes, asfaltamos ruas de bairros que há mais de 40 anos estavam na terra convivendo com poeira e lama, pavimentamos as rodovias municipais que fazem as ligações com os Distritos de Santana de Caldas e São Pedro de Caldas levando progresso para àquelas localidades e qualidade de vida para os moradores. Além disto, incentivamos nossos produtores rurais, cuidamos do nosso turismo e entregamos a reforma completa do Balneário de Pocinhos do Rio Verde, resgatamos e melhoramos as nossas festas tradicionais e culturais, recuperamos e reformamos espaços públicos de lazer e cultura, renovamos a frota municipal, iniciamos a construção do Ginásio Poliesportivo Municipal de Caldas que é um sonho antigo da população, construímos e cobrimos quadras esportivas nas escolas, reajustamos os salários dos servidores municipais com índices acima da inflação do período, mantivemos pagamentos e contas sempre em dia”, destaca, lembrando que saiu da Prefeitura com todas as  suas contas de governo aprovadas pelo Tribunal de Contas do Estado.

“Dediquei-me e acredito ter feito muito por Caldas mesmo em tempos de crise, por isso me sinto com a missão cumprida e tentei buscar voos mais altos justamente para também ir além às conquistas e poder ajudar toda região e transformar para melhor a vida de mais pessoas”, diz.

Quanto ao novo modo de fazer campanha eleitoral, com uma grande participação dos eleitores nas redes sociais em defesa de seus candidatos, Ulisses considera que há tanto o lado positivo quanto negativo. “Sem dúvida a tecnologia ajuda a aproximar as pessoas e, principalmente, se bem usada, facilita o acesso a informação. É um caminho sem volta e todos devemos saber aproveitar o ambiente das redes sociais para estarmos conectados com as pessoas e, no caso dos políticos, passando sempre informações e dando satisfações para todos que representamos”, defende.

Lamenta, no entanto, que exista gente que pense que internet é terra sem lei. “Há aqueles que são maus e fazem mau uso dessas ferramentas disseminando notícias falsas, fazendo publicações mentirosas e que não tem nenhum outro objetivo a não ser denegrir e destruir reputações de adversários. Esse lado das redes sociais é triste e algumas pessoas ainda se deixam ser manipuladas”, destaca, recordando que ele mesmo foi vítima de pessoas mesquinhas que o atacaram com mentiras e difamações na tentativa de destruir sua imagem.  “Mas confesso que isso não me atinge. Não costumo dispersar energia com esse tipo de agressão covarde, até porque eu digo que a verdade sempre prevalecerá, ainda que demore um tempo para aparecer”, enfatiza, acrescentando que apesar de ser jovem ainda prefere o contato olho no olho, o aperto de mão e uma boa conversa.

Para ele, estamos em uma fase de transição onde o eleitor está mais atento e pesquisando mais sobre o seu candidato. “Antigamente os políticos eram honrados, respeitados e sabiam retribuir esse respeito em forma de trabalho para o povo, mas recentemente, nas últimas décadas, muitos políticos abusaram dessa confiança dada pelo povo e banalizaram a honra de ter uma função pública utilizando-se de seus cargos para benefícios próprios por meio de esquemas de corrupção e isso levou a este novo momento em que as pessoas não toleram e nem aceitam mais este tipo de comportamento”, garante.

Ulisses está confiante em Jair Bolsonaro para presidente e Romeu Zema para o governo de Minas. “Acredito haver boas propostas dos dois governantes. Há também o que não concordo, mas temos que torcer desde já e sempre para que sejam excelentes gestores e consigam implementar as propostas que, de fato, trarão melhorias para a vida de cada mineiro e cada brasileiro. Veremos se terão habilidade de aprovar o que for necessário, se nossos deputados estão realmente sensíveis as demandas da população e não farão politicagem na Assembleia e na Câmara. De minha parte estarei torcendo e, no que for possível, contribuirei sempre para que os governos sejam exitosos, onde o sucesso será sempre medido pela melhoria na qualidade de vida das pessoas’, defende.

Concluindo, Ulisses diz que é um eterno otimista, lutador, incentivador, positivista e que jamais pensa em desistir, mesmo diante dos cenários mais adversos. Portanto, sua expectativa é sempre das melhores. “Acredito em uma gradual e sensível melhora dos indicadores econômicos, com muito mais gente empregada, gerando riquezas e melhorando sua qualidade de vida. Espero a redução da pobreza e da violência, desejo que isso aconteça. Precisamos acreditar e cada um fazer sua parte para que tudo seja melhor. Mais empatia, respeito e amor pelo seu próximo! Estamos todos no mesmo barco”, finaliza.

Cel. PM FREDERICO ANTONIO DE LIMA

Coronel Frederico se aposenta da PM e deixa saldo positivo

Na próxima terça-feira, 25 de dezembro, o Coronel Frederico Antonio de Lima, comandante da 18ª Região de Polícia Militar de Minas Gerais, completa 30 anos de serviços prestados a corporação, quando se aposenta. Deste total, 25 anos foram dedicados a Polícia Militar de Poços de Caldas. Natural de Belo Horizonte e com título de cidadania poços-caldense emitido pela Câmara Municipal, Frederico disse que sua designação para trabalhar nesta cidade foi um prêmio.

“Sou o único oficial de aspirante a coronel em uma única cidade do interior. Isto acontece na capital, no interior não. Minha carreira foi desenvolvida de tenente a coronel, na ativa, em Poços de Caldas e região. Hoje, ao final de minha carreira, descobri que há 25 anos recebi um grande presente na vida, que foi ser designado para trabalhar nesta cidade, onde criei raízes, constitui família e tenho laços de amizades. Considero Poços a minha casa”, garantiu.

Entrar para o quadro de reserva da PM, deixa o oficial militar com o coração apertado, porque gosta da instituição e não consegue se distanciar. “Mesmo eu indo para reserva sempre terei respeito pela instituição, pelas pessoas de bem e pelas comunidades. Uma vez militar, sempre militar”, defendeu.

O militar quando se aposenta sobe uma patente, mas Frederico continuará como coronel, já que é a última do alto comando. “Em Minas são 43 coronéis que compõem o alto comando e faço parte de um deles, represento o Sul de Minas, com sede em Poços de Caldas”, justificou.

Por dois anos, Frederico comandou o 29º Batalhão de Polícia Militar em Poços e após foi designado para o comando da 18ª Região, também na cidade, onde permaneceu por mais dois anos.  Nesta função ele tem 55 cidades e 27 distritos sob sua responsabilidade, para uma população de 1,2 milhão de habitantes e comanda uma tropa militar de 1.600 homens.

A avaliação que ele faz dos dois últimos anos é satisfatória, já que se comparados com os anos de 2012 e 2013 houve uma redução de 35% nos crimes violentos na 18ª região. “Enquanto no país houve um aumento nos crimes, na nossa região tivemos uma queda e isto não sou eu quem está falando, são os registros que apontam”, declarou.

Uma situação difícil que o país enfrenta é o tráfico de drogas, que segundo o comandante gera outros problemas, como o furto, já que o usuário o comete para consumir a droga. Há ainda os homicídios e várias outras ramificações delituosas que são provenientes pelo uso e tráfico de drogas. “Em Poços não existe a predominância do crime violento. Não se presencia um número elevado de homicídios aqui e nem nas cidades da 18ª Região. “Isto passa principalmente pela estruturação da PM. Estruturamos a PM para fazer frente a esta demanda. Hoje esta marginalidade, que é mais sofisticada, como os ataques a caixas eletrônicos, vem muito bem estruturada, mas faz esta leitura das cidades com risco maior ou menor para fazer uma incursão neste sentido. Eu acredito que hoje a PM de Poços muda de patamar, vira uma referência em termos de segurança pública no Sul de Minas”, destacou o oficial militar.

Frederico lembrou que o crime não tem fronteiras, que as polícias têm as divisas de estado, mas têm que se aproximarem de forma inteligente.  Que a comunicação é possível, bem como a troca de informações e quem sai ganhando são os cidadãos de bem. “Mesmo não sendo minha divisa não quero que aconteçam crimes violentos no estado de São Paulo. Queremos que as pessoas estejam protegidas, que transitem com tranquilidade e com paz. Temos que fazer nosso papel, quebrar tabus e de uma forma inteligente buscar solução para a segurança pública”, defendeu Frederico.

Segundo ele, as perspectivas em torno do novo presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, são as melhores. “Eu confio muito na caserna, nos militares, acredito que seja uma reserva moral os militares hoje em um cenário político tão difícil. Acho que está faltando patriotismo na nossa nação e quando a gente distancia disso as mazelas começam. Não podemos olhar para o umbigo e quem ocupa uma função pública tem como caráter servir o cidadão de bem, as pessoas, a comunidade e não podemos distanciar disto”, afirmou.

De acordo com ele, os militares têm este sentido de doação até com o sacrifício da própria vida, conforme o juramento que fizeram. “Eu acredito que uma nova era surge, que dias melhores virão com responsabilidade, com ética e muita honestidade. Hoje o político que se distanciar destes aspectos está fadado a desaparecer do cenário político. Espero que aconteça um bom governo”, defendeu.

Com a insegurança crescendo no país, muitos municípios armaram suas guardas municipais. Em junho deste ano o ministro do Supremo Tribunal Federal, Alexandre de Moraes, decidiu que integrantes de guardas municipais de todo o país podem portar armas de fogo durante o trabalho e nas horas de folga.  Sobre o assunto, o coronel Frederico se mostrou favorável a medida, desde que se siga alguns requisitos.

“A Guarda Municipal tem um papel importantíssimo, relevante em qualquer município.  Sendo uma guarda muito bem preparada , bem capacitada, contemplando alguns requisitos necessários, eu não vejo problema algum dela usar armar de fogo,  até mesmo porque hoje a gente vê que a criminalidade é mais sofisticada e não podemos desguarnecer um pai de família.  O guarda municipal tem que ter estrutura e capacidade para dar uma resposta a altura, caso haja alguma investida contra ele”, defendeu, acrescentando que é preciso que haja uma instrução, uma capacitação adequada para poder viabilizar este tipo de acesso ao armamento,  que  tira vida se for necessário. “Eu sou a favor do armamento da GM desde que se contemplem alguns requisitos exigidos, porque quando se coloca nas mãos um armamento para fazer segurança tem que ter noção de que outras vidas também transitam por perto e as pessoas de bem têm que ter a segurança para não ser vitimadas inocentemente nas mãos de alguém que é responsável por zelar por suas vidas”, explicou.

Grandes empreendimentos foram feitos na gestão de Frederico como comandante, um deles foi o aumento do efetivo policial. Para que isto fosse possível foram implantadas escolas de formação de soldados em Poços de Caldas, Alfenas e Passos. “Há aquele ditado que diz que a grama perto da torneira é mais verde e é verdade, a gente só recebia migalha. Hoje Poços se consolida como uma cidade de formação de policiais militares e temos capacidade de formar e propiciar o aumento do efetivo com uma certa regularidade”, explicou.

Outras conquistas foram as 30 viaturas zero, grandes e pequenas, recebidas no início do ano passado, que propiciaram melhor prestação de serviço para a comunidade, além de mais conforto para os policiais militares. Foram entregues ainda fuzis, coletes e armamentos diversos.

“Foram momentos de muita intensidade neste período, coroando com êxito no dia 12 de dezembro último quando entregamos uma aeronave. Era um sonho de um trabalho de quase um ano. Trabalhei silenciosamente e fiz questão de entregar antes de ir para a reserva. Esta aeronave é multimissão e a amplitude na aplicação deste equipamento é maior do que se imagina, não se restringe a serviço policial, não é utilizada apenas em operações preventivas e repressivas, é um trabalho também de resgate”, explicou, acrescentando que caso ocorra um acidente grave em uma de nossas rodovias , quando há necessidade urgente de imobilização de vítimas , de transporte rápido para algum hospital , a aeronave e a sua equipe estão devidamente capacitado para dar apoio ao SAMU.

Toda a equipe da aeronave é formada por policiais militares. São duas equipes que trabalham 24 horas e com condições de emprego. São dois pilotos, dois copilotos, tripulantes, mecânico, pessoal de apoio terrestre, todos bem treinados e com capacidade tática consolidada. “Antes, quando era necessário, tínhamos que requisitar aeronave de BH, que nem sempre estava disponível. Trata-se de um investimento da ordem de 20 milhões e que se consolida em um momento difícil em termos econômicos. Em momentos de crise não podemos cruzar os braços, temos que arregaçar as mangas e trabalhar ainda mais. E esta ai a resposta da PM mostrando a importância de Poços no cenário de Minas Gerais”, concluiu.

FLÁVIO TOGNI DE LIMA E SILVA

Secretário de saúde destaca 2018 como ano complicado

O secretário de Saúde, Flávio Togni de Lima e Silva,  considerou  2018 um ano complicado, principalmente pela escassez de recursos e pelo não repasse de verbas pelo governo do estado, No entanto, ele avaliou que, mesmo diante de tantas dificuldades, foi um ano positivo, tendo em vista soluções de pendências antigas , além da determinação e dedicação do prefeito Sérgio Azevedo  e do empenho de toda a secretaria no sentido de não deixar os pacientes desassistidos.

Com o afastamento do ex-secretário Carlos Mosconi para concorrer uma vaga na Câmara dos Deputados, Flávio, que era secretário adjunto assumiu. “A secretaria é bem complexa e antes acumulei os cargos de diretor de programas de saúde, de diretor de vigilância a saúde e secretário adjunto”, lembrou.

“As nossas conquistas foram vindas ao longo do tempo, fomos pavimentando nossa estrada, e foi um grande prazer trabalhar com o doutor Mosconi, que é uma pessoa que admiro muito e com quem espero trabalhar novamente. A  estrada que nós segmentamos no ano passado está culminando nos grandes ganhos que a população está tendo através de consultas, dos exames, das cirurgias de cataratas e de outros procedimentos”, declarou.

Uma grande maioria de cidades brasileiras atravessa dificuldades para manter a saúde. Em Poços, segundo Flávio, a dificuldade existe, mas o município consegue atender sua demanda, que é regional. “Temos atendimento especializado como o da oncologia e da cardiologia no hospital Santa Lúcia. Atendemos as pessoas desde antes de nascerem, através da gestação, até o seu último dia de vida, em casa, assistido no PSF ou no hospital”, informou o secretário.

Flávio informou que um grande desafio este ano foi à implantação de uma comissão paritária na recuperação da Santa Casa. Como todas as santas casas do país estão em uma situação lastimável, em Poços foram necessários o empenho e o destino de recursos extras que o prefeito determinou que fossem importados para o hospital. “Os recursos seriam enviados desde que tivesse uma gestão mais profissional. Conseguimos salvar a Santa Casa e hoje ela já aumentou em mais de 600% o número de cirurgias, outros procedimentos estão sendo implantados e novas especialidades estão vindo”, declarou.

Segundo ele, o repasse de recursos foi uma antecipação da verba, que caberia ao estado. “A prefeitura antecipou e a gente aguarda um dia o estado nos repassar. Achamos um tanto quanto difícil, mas fizemos isto para salvar a Santa Casa”, justificou.

Flávio defendeu que o grande desafio da saúde em geral é a informatização e integração de todas as unidades de saúde. Ele acredita que a partir do momento em que haja a integração entre as unidades, em que ocorra a informação do paciente em qualquer unidade em que ele estiver, o acesso do paciente a sua fila de espera, a  sua marcação de consulta e a realização de seus exames, começa-se a simplificar, desburocratizar o sistema e dar mais agilidade, sem contar que haverá mais  economia . “Hoje temos exames de sangue que são realizados e 30% não são retirados depois de receber o laudo. Se perde muito dinheiro e a pessoa retorna ao médico, que faz outro pedido e é feito outro exame. A partir do momento que tudo isto estiver integrado vai gerar uma economia muito grande, em torno de 40%. Este dinheiro economizado pode ser revertido para a população em outros procedimentos cirurgias e a medicamentos que não estão em nossa rede”, afirmou.

Sobre a saída dos nove médicos cubanos, o secretário garantiu que a situação está sob controle. “Os médicos cubanos tiveram uma integração muito grande com a população, que criou um carinho muito grande por eles, que vão deixar saudade, mas as vagas já foram preenchidas”, informou.

Já quanto aos médicos especialistas que deixaram o sistema recentemente, por não concordarem com o cumprimento de horário, Flávio disse que a situação também está sob controle. “Usamos de bastante criatividade, corremos atrás dos parceiros, Cismarpa, APAE, Santa Casa, Santa Lúcia e conseguimos algumas  especialidades. Também contratamos, de forma emergencial, uma empresa de terceirização de mão de obra. Os médicos são contratados por esta emprêsa e vão oferecer serviço para o município”, informou.

Segundo o secretário a saída de alguns especialistas foi muito triste, um baque muito grande, porque o município perdeu médicos com história pelo SUS, com uma relação médico paciente muito grande. “Não podemos culpar o Ministério Público, que fez seu dever de cumprir a legislação. Foi uma perda grande, mas estamos tentando através destes médicos com que eles retornem ao trabalho através desta nova forma de contratação”, declarou.

Flávio disse que o grande foco da saúde tem que ser a atenção básica, onde se trabalha com a promoção e a prevenção. No terceiro ano de mandato do prefeito Sérgio Azevedo, o secretário disse que este trabalho ganhará um grande foco. “Vamos focar bastante na atenção básica para desenvolver a promoção de saúde, seja implantando novas técnicas como nos casos das práticas integrativas como yoga, reiki, medicina oriental e outros, além de estarmos capacitados nossos profissionais para isto e focando ainda em palestras e visitas domiciliares para que a população tenha este acesso”, informou.

Flávio confirmou a deficiência da frota da Saúde, principalmente de ambulâncias, apesar de ter conseguido algumas para o SAMU. “A frota de transporte sanitário que fica na UPA, no Margarita Morales e do transporte interno da secretaria são deficitários. Existem emendas parlamentares que foram conseguidas e estão sendo compradas ambulâncias. Temos o planejamento de fazer a troca de toda a frota em 2019, para que possamos colocar carros mais novos e confortáveis  para população e para os servidores”, finalizou.

ANTONIO CARLOS PEREIRA

O presidente da Câmara, vereador Antonio Carlos Pereira, considerou “proveitoso e produtivo” o ano de 2018 para o legislativo municipal. De acordo com ele, houve muito trabalho, os vereadores foram participativos, atuantes e interessados nas questões relativas à cidade.

“Os vereadores participaram intensamente das reuniões de comissões e das inúmeras audiências públicas que promovemos relacionadas a diversos temas. Foram audiências importantíssimas com destaque para a que trata da mudança de legislação em prol do bairro Jardim Elvira Dias, que foi muito prejudicado por inúmeros prédios recentemente e a audiência onde debatemos a Guarda Mirim, e que vamos continuar atuando sobre o assunto’, afirmou.

Os trabalhos do Legislativo ainda não se encerraram.  Pereira afirmou que ainda haverá muito trabalho, uma vez que os vereadores têm que votar o orçamento de 2019 e discutir outros projetos em 2018.

O presidente da Câmara destacou outras atividades exercidas pelo Legislativo neste ano, como o programa ‘Poços em Visita’ que foi intenso com a participação de alunos de várias escolas da cidade que puderam conhecer de perto os trabalhos desenvolvido por aquela casa de leis. “Foi gratificante para nós porque estas crianças são os futuros legisladores, homens públicos que puderam aprender um pouco o trabalho da Câmara. Faço um apelo para que todos, jovens e adultos, visitem a Câmara, acompanhem as sessões, participem”, convidou.

Pereira informou que uma das novidades para 2019 é que as reuniões das comissões serão realizadas em plenário e abertas a participação popular. O objetivo, segundo ele, será o de oferecer maior visibilidade aos trabalhos que são realizados pelos vereadores.

Devido a intensidade dos trabalhos desenvolvidos pela Câmara em 2018, as solenidades de homenagens ficaram concentradas todas para o segundo semestre de 2018. “Tivemos homenagem as mulheres, aos professores, as relativas a consciência negra, entrega de títulos de cidadania poços-caldense e diplomas de honra ao mérito. As pessoas homenageadas ficam gratificadas e imensamente felizes  e isto é muito bom porque aqui na casa do povo temos que reconhecer e destacar o trabalho de várias personalidades”, defendeu, acrescentando ainda que a Câmara cedeu espaço para muitas exposições de órgãos importantes.

“Foi com muita satisfação que em 2017 retornamos aos cofres públicos R$ 8 milhões. Foi fruto de nossa ação de austeridade e respeito aos gastos públicos. Desta vez, em 2018, vamos devemos devolver um pouco mais”, garantiu sem destacar o montante.

“Não temos mais carro, não temos mais motorista e gastamos quase nada com transporte de vereador. Eu entendo que o vereador deva trabalhar a suas despensas. Não que seja proibido ir a outras cidades buscar informações, mas hoje, com a tecnologia avançada, você pode buscar informações de todas as maneiras sem sair da cidade. Os problemas na cidade são inúmeros e temos que estar atentos a nossa comunidade em todas as regiões”, defendeu o presidente.

De acordo com ele, uma série de economias e decisões, como a não implantação da TV Câmara, vai permitir este repasse de recursos da Câmara para os cofres da Prefeitura, o que vai permitir ao Executivo dinheiro para pagamentos necessários neste fim de ano.

Fechar Menu