Feijoada beneficente da APAE

 

Neste domingo acontece a primeira feijoada beneficente da APAE.   O evento terá início às 12:30, na própria sede da Instituição, na Vila Cruz.  Vários voluntários e até mesmo a diretoria da Apae estarão engajados nos preparativos e orientados para o atendimento ao público. As pessoas poderão se servir à vontade e com a opção de marmitex para viagem.  O evento contará ainda, com a presença do grupo Fina Fulô, um quarteto formado por mulheres, são elas, Cibele Zétula (acordeon), Giselli Garcia (zabumba), Michele Costa (voz) e Ivonete Dorr (triângulo). O grupo aceitou  o convite para animar o ambiente e deixar o cardápio da feijoada completo, trazendo forró de raiz.

A diretora institucional, Gláucia Boaretto, ressalta que, atualmente, 740 pessoas são assistidas pela Apae e, como qualquer outra Instituição, depende de recursos públicos vindos da Prefeitura, porém, não cobrem todas as despesas. “Para suprir a falta, a Entidade realiza eventos como esta feijoada que alia sabor, qualidade no serviço e bom preço. Esta contrapartida promove de forma prazerosa a contribuição do público com a Apae e, assim, vamos driblando os problemas financeiros”, comenta a diretora Gláucia.

 

Falta de respeito

As fotos mostram o caos, mais uma vez, no trânsito pelos lados da zona oeste na Avenida Francisco Jesualdi, devido a interdição, que já dura quatro meses, da rua José Bernardo, que facilita o acesso a PUC e bairros vizinhos. A incompetência e a falta de boa vontade da administração comandada pelo engenheiro civil Sérgio Azevedo continua atrapalhando a vida dos motoristas que se utilizam desse caminho porque a via continua interditada para obras defronte ao novo prédio do Tribunal do Trabalho que apesar de já estar em pleno funcionamento ainda não foi inaugurado. Uma vergonha para uma administração que se diz técnica e que não demonstra a mínima capacidade para executar alguns metros de asfalto.

Fechar Menu