Governo desiste de reforma

O governo admitiu ontem desistir de encaminhar ao Congresso Nacional uma proposta própria de reforma administrativa, que muda regras para servidores públicos. A ideia era enviar só “sugestões” a um texto que já tramita na Câmara. A pressão do presidente da Casa, Rodrigo Maia, e de outras lideranças partidárias, no entanto, fez o governo recuar e decidir novamente mandar um texto próprio. Esse vai e vem adiou mais uma vez o envio formal da proposta, que já está praticamente pronta dentro do Ministério da Economia.

 

Na marca do pênalti

O presidente Jair Bolsonaro deve demitir o ministro da Cidadania, Osmar Terra, e entregar a pasta a Onyx Lorenzoni, enfraquecido no comando da Casa Civil. Segundo interlocutores do presidente, a mudança deve acontecer em breve. Terra terá uma reunião com Bolsonaro ao meio-dia desta quarta-feira, segundo a agenda oficial.

 

Chumbo trocado

O deputado federal Eduardo Bolsonaro (ainda no PSL-SP) está acusando sua ex-colega Joice Hasselmann (PSL-SP), que agora é uma espécie de nova inimiga de espalhar fake news através de uma “milícia joiciana” contra ele, sua família e aliados. Detalhe a deputada fez a mesma denúncia contra o Eduardo e o clã presidencial na CPMI da Fake News.

 

Pena reduzida

A 5ª Turma do Superior Tribunal de Justiça confirmou, por unanimidade, a condenação do ex-governador de Minas Gerais Eduardo Azeredo por peculato e lavagem de dinheiro. Os ministros entenderam que os crimes foram configurados em atos para desviar R$ 3,5 milhões de empresas estatais que teriam sido usados na campanha para a reeleição de Azeredo ao governo mineiro, em 1998. A pena imposta ao tucano, por outro lado, foi reduzida de 20 anos de prisão para 15 anos, 7 meses e 20 dias.

 

Chuva leva caos ao Sul de Minas

A Coordenadoria Estadual de Defesa Civil deu detalhes, na noite desta terça-feira, sobre o impacto das chuvas no Sul de Minas. Em Poço Fundo há 1,2 mil desalojados e 50 desabrigados. Em Bandeira do Sul, são 136 casas afetadas, que resultam em 320 desalojados e 80 desabrigados. Os danos em Campestre motivaram a prefeitura a decretar estado de calamidade pública. Duas casas foram afetadas, 29 desalojados e 12 desabrigados, uma represa rompeu na zona rural, o que contribuiu para causar defeitos em sete pontes.  Em Caxambu uma mulher de 58 anos morreu, quatro casas foram afetadas, com sete desalojados e três desabrigados. Em Espírito Santo do Dourado são três pessoas desalojadas e cinco desabrigadas.  Em Soledade de Minas, uma encosta cedeu sobre três casas, sem registro de vítimas.

Fechar Menu