Lei não está sendo cumprida

A Lei municipal de 2009, de autoria da ex-vereadora Regina Cioffi, que se refere ao reembolso de ajuda de custo aos pacientes que fazem uso da oxigenoterapia domiciliar não vem sendo cumprida pela prefeitura desde o mês de junho.

O vereador Joaquim Alves já elaborou e apresentou um requerimento contendo pedido de informações a respeito, lembrando que a utilização deste tipo de tratamento gera gastos com energia elétrica e pessoas mais carentes não conseguem arcar com esse custo.

O cumprimento da lei permite com que elas possam se beneficiar com a medida. O vereador Marcelo Heitor fazendo coro com seu colega Joaquim, declarou também que recebeu diversas denúncias alertando que o município também não vem oferecendo os equipamentos para as pessoas que precisam passar por este tipo de tratamento.

 

Unidas em 2020?

A ex-vereadora e presidente da Câmara, Regina Cioffi, publicou ontem em sua página no facebook, foto ao lado da vereadora e secretária da mesa diretora do legislativo, Maria Cecilia Opipari (Ciça), com legenda onde diz que as duas tiveram um encontro muito produtivo para tratar de problemas da cidade.

A vereadoratem desempenhado um bom trabalho neste seu primeiro ano no cargo, sendo constantemente elogiada pelos colegas inclusive por intermediar conflitos e apaziguar os ânimos que vez ou outra ficam exaltados nos debates entre os vereadores.

No episódio da reunião de terça-feira durante o bate boca entre o presidente e o vereador Antonio Carlos, foi ela quem aconselhou o presidente a baixar o tom, até porque o regimento interno proíbe o presidente de entrar em discussão com os demais vereadores. Para debater é necessário que o presidente transfira o cargo para o vice e desça ao plenário.

 

O campeão

Pelo andar da carruagem e pelas previsões ouvidas nas rodinhas de bate papo no pedaço da gorjeta, o prefeito Sérgio Azevedo corre o risco de deixar o cargo como sendo o campeão em número de processos, muitos deles se prolongando por vários anos após deixar o cargo de prefeito. Fora do cargo as despesas com advogado de defesa e custas judiciais passam a ser de responsabilidade do acusado e não mais da prefeitura.

 

Projeto do lixo deve ser retirado

O projeto de lei encaminhado pelo executivo para a Câmara Municipal, solicitando autorização legislativa para que a prefeitura possa aderir ao consórcio de municípios que administra o aterro sanitário localizado na cidade de Andradas e com isso passe a transportar para lá  todo lixo doméstico coletado na área urbana deve ser retirado pelo próprio executivo por conter uma série de irregularidades já apontadas nas comissões permanentes.

É mais um projeto de lei mal elaborado pela assessoria do chefe do executivo e repleto de incorreções que será recolhido para sofrer as alterações apontadas pelos vereadores e pela assessoria técnica do legislativo.

Fechar Menu