O mesmo pensamento

Já o ex-prefeito Geraldo Thadeu, que foi chefe do engenheiro quando este dirigia o DMAE, manda recado dizendo que apoia integralmente a sugestão do ex-prefeito Luiz Antonio Batista no que diz respeito a aprovação de um projeto de lei proibindo a prefeitura de aplicar os repasses do DME, originado pelo lucro das empresas de energia em pagamentos de dívidas de custeio. Para o ex-prefeito, recurso do DME tem que ser investido na execução das obras que a cidade necessita.

Em sendo assim está lançada a chapa Geraldo-Rodopiano com Luiz Antonio figurando na direção do DME, ao lado do engenheiro Cicero Machado de Morais.

 

Apostando na divisão

Toda vez que lê uma notícia sobre o lançamento de candidatos o prefeito Sérgio Azevedo fica ainda mais animado com a chance de conquistar um segundo mandato. Isto porque sua aposta está exatamente na divisão dos votos e por essa estratégia, como o prefeito tem a caneta nas mãos, isso garante um mínimo de 15 a 20 mil votos. Quanto mais candidatos, melhor, avalia o tucano.

Até agora pelo menos cinco candidaturas estão praticamente garantidas, quatro de oposição (PT, MDB, PTB e Novo) podendo chegar a seis, caso Eloisio decida se candidatar por outra legenda e o PSC confirme a vontade de disputar a prefeitura.

Também não se deve esquecer de que correndo por fora estão os ex-prefeitos Geraldo Thadeu e Paulinho Courominas, se bem que este analisa outras duas possibilidades, ser vice do Sérgio ou apenas candidato a vereador.

 

Jogos poderiam render R$ 20 bi anuais

O jornal O Tempo publicou em sua edição de ontem uma reportagem interessante sobre os jogos de azar no país que se fossem legalizados, segundo a matéria, poderiam render R$ 20 bilhões anuais em impostos que poderiam ajudar a União, os Estados e os Municípios, além de gerar mais de 600 mil novos empregos.

Segundo levantamento do Instituto Brasileiro Jogo Legal (IBJL), diariamente pelo menos 10 milhões de pessoas fazem apostas em algum tipo de jogo ainda não legalizado Já os jogos que são feitos através da Caixa Econômica Federal rendem ao banco um faturamento de R$ 13,8 bilhões ao ano.

Dados das policiais em Minas indicam que somente neste ano, 616 ocorrências foram registradas com apreensões em pontos de apostas, enquanto no ano passado, este número chegou a 2.006 registros.

No governo Itamar Franco, os bingos através da lei conhecida como Lei Zico, foram liberados para as entidades esportivas, enquanto que em 1998 a chamada Lei Pelé abriu a administração das salas de jogos também para empresas comerciais. No ano 2.000 uma Medida Provisória foi editada tornando a exploração dos jogos como exclusivas da Caixa Econômica Federal.

Está tramitando hoje no Congresso Nacional um projeto de lei que permite a legalização dos jogos com a reabertura dos cassinos. Segundo o Instituto Brasileiro Jogo Legal, se aprovado, o projeto vai beneficiar muito Minas Gerais, principalmente a região sul do Estado.

A matéria cita Poços de Caldas como uma das cidades beneficiadas e lembra a construção do Pálace Cassino na época do jogo e a própria cidade que om mais de 10 cassinos ficou conhecida como a Las Vegas brasileira.

Nesta época em que a Prefeitura enfrenta sérios problemas financeiros, até que não seria uma má ideia a aprovação da lei que legaliza novamente os jogos de azar.

Fechar Menu