Pouco entusiasmo

A entrevista do vereador Antonio Carlos Pereira no “Poços em Debate” desta segunda-feira foi, sem dúvida, um dos melhores desde que o programa foi ao ar. Sereno, com sua experiência de sete legislaturas, o líder do governo não fugiu das perguntas e voltou a reafirmar sua posição contra a redução da jornada de trabalho dos servidores de oito para seis horas, sendo ele o único voto discordante quando da aprovação da lei que causou sérios prejuízos para a máquina administrativa.

Sobre seu futuro político, Antonio Carlos disse que não tem a pretensão de se candidatar a prefeito, deixando inclusive em aberto a possibilidade de disputar ou não mais um mandato de vereador.

Embora esteja apresentando há muitos anos o programa Canal Aberto, pela TV Poços, o vereador voltou a dizer que sua grande paixão foi e continua sendo o rádio. Lembrou inclusive os anos em que esteve apresentando programas primeiro na Rádio Cultura e depois na Difusora.

 

Votação apertada

Por 8 votos a favor e 7 contra, a Câmara Municipal aprovou na sessão de ontem a vinda da escola cívico/militar para Poços. O programa nacional é uma iniciativa do Ministério da Educação, em parceria com o Ministério da Defesa, que apresenta um conceito de gestão nas áreas educacional, didático-pedagógica e administrativa com a participação do corpo docente da escola e apoio dos militares. A proposta é implantar 216 Escolas Cívico-Militares em todo o país até 2023, sendo 54 por ano.

Nos bastidores alguns ironizavam o resultado afirmando que as bancadas da bala e da bíblia votaram unidas, mas, mesmo assim ganharam a parada.

 

Aniversário de Machado

 

Fechar Menu