Pressão por prisão em segunda instância

Um grupo de senadores decidiu retomar a pressão pela votação do projeto de lei que abre caminho para a prisão imediata de condenados em segunda instância. O líder do PSL no Senado, Major Olímpio (SP), começou a recolher assinaturas para um abaixo-assinado que pretende entregar ao presidente da Casa, Davi Alcolumbre, pedindo que o texto seja pautado independentemente da tramitação da proposta de emenda à Constituição que trata do assunto na Câmara.

 

Propina de R$ 20 milhões a Aécio

Um contrato celebrado entre Eike Batista e a empresa Aalu Participações e Investimentos S/A, que pertence a Alexandre Accioly, é a prova que o empresário levou aos procuradores para sustentar a informação de que pagou R$ 20 milhões ao ex-governador de Minas e ex-candidato à Presidência da República, Aécio Neves (PSDB-MG), em 2010. O repasse seria em troca de favores em atos do governo de Minas, que estava sob influência do tucano. Eike tenta celebrar um acordo de colaboração premiada com a PGR.

 

Só depois do Carnaval

Ficou para depois do carnaval a votação dos vetos do presidente Jair Bolsonaro aos itens da Lei de Diretrizes Orçamentárias de 2020. Bolsonaro vetou dispositivo à proposta orçamentária para este ano, segundo o qual o governo terá que ouvir as comissões permanentes da Câmara dos Deputados e do Senado Federal, além do relator-geral da proposta orçamentária, antes de executar as emendas parlamentares apresentadas para execução no ano seguinte.  As emendas de comissões permanentes do Senado, da Câmara, do Congresso e do relator somam R$ 42,6 bilhões.

 

Deslocado de ministério

O presidente Jair Bolsonaro convidou o general Walter Braga Netto, que comandou a intervenção no Rio de Janeiro em 2018, para o cargo de ministro da Casa Civil. Ele substituirá Onyx Lorenzoni, que deverá ser deslocado para o Ministério da Cidadania, hoje comandado por Osmar Terra. Um importante auxiliar de Bolsonaro definiu Braga Netto como “um homem muito preparado”. Disse que ele vai fazer no governo o que faz no Exército.

 

De malas prontas para o Canadá

O ministro Osmar Terra (Cidadania) parece se preparar para entregar o cargo a Onyx Lorenzoni (Casa Civil), que busca um ministério “operacional” para chamar de seu. Uma possibilidade considerada pelo presidente Jair Bolsonaro é nomear Terra embaixador do Brasil no Canadá, na gelada capital Ottawa. Talvez por coincidência, o filho de 13 anos de Osmar Terra já foi matriculado em escola canadense.

Fechar Menu