Secretários deixam cargos para trabalhar na iniciativa privada

Os secretários de Serviços Públicos, Thiago Biagioni e de Planejamento, Tiago Cavelagna, deixam os cargos para assumirem postos na iniciativa privada. Thiago Biagioni diz que reassume a empresa da família, na cidade de Gonçalves, depois de 3 anos à frente da secretaria. “Eu só tenho a agradecer a confiança e credibilidade depositada em mim pelo prefeito Sérgio Azevedo. Ele sempre atendeu aos pedidos, equipando a secretaria, o que nos deu boas condições de realizarmos muitos feitos para a cidade. Deixo aqui também meu agradecimento ao amigo Celso Donato, secretário de governo”, explicou Biagioni.

Já Tiago Cavelagna, foi convidado para assumir um cargo em uma empresa privada que atuará em Poços e região. “Eu também só tenho a agradecer a confiança, foi desafiante estar à frente de uma secretaria tão importante. O prefeito Sérgio é um parceiro que busca sempre o melhor para a cidade”, declarou Cavelagna.

O prefeito Sérgio Azevedo agradeceu a dedicação de ambos neste período. “Os dois tiveram grande desempenho à frente das secretarias e por motivos particulares, profissionais de cada um, eles se desligam. Mas continuamos amigos e quem sabe em um futuro, podemos estar juntos novamente. Desejo sucesso a eles nesta nova fase na iniciativa privada”, reiterou o prefeito Sérgio Azevedo

Os nomes que assumirão as secretarias serão divulgados nos próximos dias. A secretaria de Planejamento fica neste ínterim, sob a responsabilidade do secretário adjunto, Antônio Carlos Alvise.

 

Vereador Marcelo Heitor é reeleito corregedor

Durante a segunda reunião ordinária do ano, na terça-feira, o vereador Marcelo Heitor (PSC) foi reeleito corregedor da Câmara. O parlamentar recebeu 12 votos e estará à frente da função no ano de 2020.

Marcelo Heitor esteve na Corregedoria em 2019 e seu nome foi indicado mais uma vez para disputar o cargo. “Como corregedor eleito, espero o bom andamento dos trabalhos por parte dos vereadores, sempre observando o decoro e o respeito para com todos os colegas. É função primordial o acompanhamento do papel aqui dentro da Câmara, mas também no nosso papel como vereador fora do Legislativo, é importante a gente observar tudo isso para que a Câmara possa exercer um bom papel”, ressalta.

De acordo com o que estabelece o artigo 5º do Código de Ética e Decoro Parlamentar, instituído através da Resolução n. 587/96, a votação para corregedor ocorrerá sempre na segunda sessão do ano e a duração do mandato é de um ano, permitida a recondução para o período subsequente. Compete ao corregedor, entre outras atribuições: zelar pelo cumprimento do Código de Ética e Decoro Parlamentar; corrigir os usos e abusos dos vereadores, promovendo-lhes a responsabilidade; autuar possível representação nos termos do Código de Ética, emitindo seu parecer e indicando as providências a serem tomadas pela Câmara.

Fechar Menu