Trabalho em silêncio

Sem fazer muito barulho, o PSC (Partido Social Cristão) vai aumentando seu cacife na política local graças ao bom trabalho do seu presidente, Wanderlei Monteiro, que em algumas oportunidades já demonstrou que é o mais habilidoso presidente da partido e sabe mexer os pauzinhos para alcançar seus objetivos na área politica.

Não for por acaso que mesmo presidindo um partido que na última eleição municipal esteve aliado a um candidato derrotado a prefeito (Paulinho Courominas) mesmo assim conseguiu eleger dois vereadores (Carlos Roberto e Marcelo Heitor), enquanto a legenda do próprio candidato só conquistou uma cadeira na Câmara e o PTB, outro partido aliado, ficou sem representação.

Agora Wanderlei mostra novamente competência ao eleger, com uma bancada de apenas dois vereadores, o presidente da Câmara. O partido sob seu comando soube tirar proveito do racha na bancada da situação e emplacou o professor Carlos Roberto na presidência, com apenas dois anos de mandato, derrotando vereadores com muito mais experiência no legislativo.

O presidente do PSC ainda conta na Câmara com dois vereadores discretos e obedientes, que não atuam pelo partido e não estão em busca do estrelismo, trabalhando de comum acordo com a direção da legenda nas atuações em plenário e fora dele.

O próximo passo, segundo revela Wanderlei nas conversas ao pé-do-ouvido, é lançar um candidato competitivo, talvez um nome novo na política, em condições de conquistar o comando da prefeitura em 2020.

Não é de duvidar que alcance mais este objetivo. Os concorrentes que tratem de ficar espertos e ficar com os olhos bem abertos para que o PSC não cresça ainda mais.

Fechar Menu