WhatsApp admite mensagens nas eleições

A Folha de S.Paulo informa que o WhatsApp admitiu, pela primeira vez, que as eleições de 2018 no Brasil tiveram uso de envios massivos e ilegais de mensagens. O disparo foi feito por meio de sistemas automatizados contratados de empresas.Em palestra no Festival Gabo, o gerente de políticas públicas e eleições globais do WhatsApp, Ben Supple, disse: “Na eleição brasileira do ano passado houve a atuação de empresas fornecedoras de envios massivos de mensagens, que violaram nossos termos de uso para atingir um grande número de pessoas”.

 

Criação de novo partido como alternativa ao PSL

Ao ser flagrado na terça-feira criticando o PSL, o presidente Jair Bolsonaro reacendeu o debate sobre uma eventual mudança de partido. Bolsonaro recomendou a um apoiador “esquecer o PSL” e disse que o presidente da sigla, Luciano Bivar, está “queimado”. A discussão acontece em meio a uma disputa interna pelo controle do fundo partidário de R$ 103 milhões. Dois caminhos já são discutidos.Um deles seria criar uma legenda do zero, a partir da coleta de assinaturas.

Fechar Menu